quarta-feira, 28 de abril de 2010

Design e Acessibilidade - portadores de nanismo

Será possível mudar paradigmas relacionados ao tema do Nanismo?
"O belo aparece quando o anão começa a ver, a sentir, a encontrar o próprio talento e competência, ou quando a partir da demanda do outro pode começar a transformar seus estereótipos em gestos significantes." (Carlindo Lima)

O objetivo desta pesquisa: levantar as reais dificuldades encontradas pelos portadores de nanismo, quer seja no manuseio de artefatos móveis ou imóveis, visando à universalização e sua convivência com pessoas de estatura normal , a começar nas residências e locais de trabalho.

O ambiente doméstico apresenta barreiras na forma de escadas, interruptores, maçanetas, aparelhos sanitários... A superação destes obstáculos pode ser obtida por dois caminhos:
• projetos arquitetônicos e de mobiliário específico;
• criação de artefatos que colaborem com o cotidiano.

Esta é a nossa meta !!!


*** esta pesquisa (em andamento) Vida sem Barreiras - portadores de nanismo foi apresentada no dia 20 de abril no World Congress in Comunication and Arts - WCCA 2010, Guimarães/Portugal, pela profa.Lourdes Luz

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Superação

Tenho tentado acompanhar tudo o que se passa em torno de Luciana – Alinne Moraes da novela Viver a Vida. Fui buscar mais informações sobre o projeto “Praia para Todos” (confesso que não obtive muito sucesso), acompanho o blog sonhosdeluciana.com, e hoje tive o prazer de ler a entrevista de Flavia Cintra, a jornalista paulista, cadeirante que orienta Alinne em cena.
Entre a realidade e a ficção, algumas afinidades ou coincidências, mas a cima de tudo lições de vida – superar o acidente e encarar dificuldades de um mundo repleto de barreiras.
Queria conhecer Flavia pessoalmente, ou melhor ainda, seria conviver com ela. Que integridade, que coragem: profissional, mãe, mulher, poderosa nas atitudes e nos projetos.
Ela diz na entrevista: “não agüento as pessoas que reclamam da vida”. De fato ..... é uma perda de tempo !

Lourdes Luz
Março/2010